CABEDELO – Coligação pede afastamento de juiz eleitoral e o magistrado não reconhece

A Coligação “É Tempo de Mudança” (PTB/PT/PODE), que teve Eudes Souza como candidato a prefeito na última eleição suplementar em Cabedelo, propôs uma Exceção de Suspeição em desfavor do Juiz Eleitoral da 57ª Zona Eleitoral, Salvador de Oliveira Vasconcelos, afirmando que a sua nora ocupa atualmente um cargo comissionado na prefeitura de Cabedelo.

Os fundamentos usados para pedir o afastamento do magistrado do processo que julga o deferimento da chapa do prefeito eleito, Vitor Hugo e seu vice, mostram que Vivian Martins de Vasconcelos, nora do Juiz, além de trabalhar na gestão do atual prefeito, também participou ativamente da sua campanha.

Segundo a coligação de Eudes, “não se concebe possível que um magistrado, tendo sua nora beneficiada pela gestão municipal chefiada pelo candidato a prefeito e que se irmana com a campanha, possua isenção necessária ao julgamento de um processo que pode levar a efeito o indeferimento do registro da coligação pela qual concorre, inclusive, sob o risco de uma nova eleição”.

O magistrado deverá julgar a representação que pede a impugnação do candidato a vice, Aguinaldo Gonçalves da Silva, na chapa de Vitor Hugo, por irregularidade do órgão de direção municipal do Partido Socialista Brasileiro – PSB de Cabedelo.

O processo retornou à comarca de Cabedelo após o Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba – TRE-PB decidir por unanimidade, pelo provimento ao Recurso Eleitoral nº 5-58, da Coligação “É Tempo de Mudança” (PTB/PT e PODE), encabeçada pelo vereador e candidato a prefeito José Eudes, em harmonia com o parecer do Ministério Público Eleitoral, que declarou a nulidade da sentença de primeiro grau e pediu o retorno dos autos à origem, para que seja concedido prazo para que a recorrente apresente manifestação sobre os documentos juntados pela defesa da Coligação “A Força do Trabalho” (PRB/MDB/DEM/PSB).

No último dia 25, o juiz Salvador emitiu o seguinte despacho: “Em relação à Exceção de Suspeição, não reconheço fundamentos suficientes a ensejar a minha declaração de suspeição, razão porque determino que seja autuada em apartado, no âmbito do qual, apresento as minhas razões de inconformismo”.

O processo que julga o registro da candidatura de Vitor Hugo deve ser julgado nos próximos dias pelo Juiz Salvador de Oliveira Vasconcelos.

Despacho:

1 thought on “CABEDELO – Coligação pede afastamento de juiz eleitoral e o magistrado não reconhece

  1. Já faz tempo, que muitos TOGADOS estão despachando em causa própria, é um peso para duas MEDIDAS, acho que já deveria ter outro TOGADO na causa. Eita cidadezinha de murro baixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *